Segunda, 01 de dezembro de 2014, 10h08 A A A

Governador inaugura primeiro viaduto de Várzea Grande

A obra, liberada para tráfego desde junho deste ano, receberá o nome da ex-primeira dama de MT, professora Isabel Campos

ASSESSORIA

Secopa-MT

 

  • Edson Rodrigues/Secopa
  • Edson Rodrigues/Secopa
  • Edson Rodrigues/Secopa
  • Edson Rodrigues/Secopa
  • Edson Rodrigues/Secopa
  • Edson Rodrigues/Secopa
  • Edson Rodrigues/Secopa

Nesta segunda-feira (01.12) o governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, e o secretário da Secopa, Maurício Guimarães, inauguram oficialmente mais uma grande obra de mobilidade urbana para a região metropolitana. O viaduto com 153 metros está sendo utilizado pelos motoristas desde o dia 11 de junho deste ano. Foi a última do conjunto de obras da Travessia Urbana de Cuiabá e Várzea Grande a ser iniciada. O viaduto receberá o nome da professora Isabel Campos em homenagem a ex-primeira-dama de Mato Grosso, esposa do ex-governador Júlio Campos. A solenidade ocorre às 17 horas, na rotatória da Avenida Dom Orlando Chaves, sem interrupção do tráfego no local.

O viaduto Dom Orlando Chaves, como ficou conhecido, por fazer a ligação entre a Avenida Miguel Sutil em Cuiabá à avenida Dom Orlando Chaves, no bairro Cristo Rei, em Várzea Grande garantiu maior mobilidade na região.

“A liberação do viaduto melhorou o fluxo de veículos no local. O controle através de um retorno semafórico impedia uma maior fluidez entre os carros que vinham de Cuiabá e os que trafegavam pela Avenida da FEB. Agora, os motoristas que têm a necessidade de acessar o bairro da Manga/Ponte Nova pela Av. da FEB farão um trajeto em fluxo contínuo”, destacou Josemar Araújo Sobrinho, assessor de Mobilidade Urbana da Secopa. 

O viaduto foi projetado para proporcionar passagem direta aos motoristas com itinerário entre a região do Bairro Cristo Rei (onde passa a Avenida Dom Orlando Chaves) e a Ponte Nova, que dá acesso a Cuiabá. Sob a estrutura vai ser passagem também do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). As obras de mobilidade urbana  

A obra do viaduto inclui ainda a recuperação da via, que vai da entrada do Cristo Rei, seguindo pela Miguel Sutil, até o entroncamento com a Rodovia Mário Andreazza, totalizando 2,9 quilômetros de extensão. O investimento feito atráves de convênio com DNIT ficou em R$ 19, 2 milhões, o viaduto foi construído pela empresa Sanches Tripoloni.